Portugal
PCP questiona Governo sobre a “discriminação” do futebol feminino
2020-06-19 00:00:00
Comunistas acusam FPF de “descredibilizar” a modalidade

O PCP associou-se à iniciativa ‘Futebol sem Género’, que contesta o teto salarial no campeonato feminino que a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) pretende impor.

Numa carta aberta endereçada à ministra da Presidência (Mariana Vieira da Silva) e ao secretário de Estado do Desporto (João Paulo Rebelo), o partido criticou a FPF e colocou duas questões ao Governo.

“Tem o Governo conhecimento da discriminação? Que medidas irá tomar para resolver esta situação e situações futuras de discriminação no futebol e no desporto?”, perguntam os comunistas.

Em relação ao teto salarial para o futebol feminino, o PCP considerou que se trata de uma medida “ eticamente censurável” e “total e ostensivamente discriminatória”.

“Como pode a FPF arrogar-se como defensora da igualdade e da indiscriminação quando viola deste modo a promoção da igualdade de género? Prefere a FPF impor um teto salarial drástico no futebol feminino e nada fazer quanto ao futebol masculino? Por que razão?”, insiste o partido.

“Esta é uma chamada de atenção para que a FPF inflita, desde já, um caminho que, antes de tudo, a descredibiliza, prejudicando, para além da correta e contínua evolução do futebol feminino, a afirmação do futebol enquanto modalidade global e aglutinadora”, concluiu o PCP.