Portugal
“Para os clubes, é importante que a época termine”, afirma Paulo Gomes
2020-04-02 21:55:00
O presidente do Vitória de Setúbal elogia a tomada de posição da FPF e clubes profissionais

O presidente do Vitória de Setúbal, Paulo Gomes, elogia a decisão tomada pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e clubes profissionais de quererem que os campeonatos terminem até inícios de agosto.

Em entrevista à Sport TV, o dirigente, empossado como líder do clube setubalense em janeiro deste ano, assume que é importante, não só para os clubes, mas também para os patrocinadores e jogadores que a I e II Liga terminem.

“Na nossa opinião faz todo o sentido. Este campeonato teria que terminar, os clubes assim o entenderam que o queriam fazer. Felizmente, a UEFA, a FPF e a Liga fizeram seguir a nossa vontade. Os clubes têm compromissos assumidos com os seus atletas, treinadores, parceiros. Para os clubes, é importante que a época termine”, afirmou Paulo Gomes.

Ao mesmo tempo, o presidente garante que o Vitória de Setúbal só entrará em ‘lay-off’ em último recurso, assumindo que a direção está a fazer tudo para cumprir com os compromissos com os seus colaboradores.

“Vamos usar sempre o ‘lay-off’ apenas em último recurso. Não seria benéfico para ninguém. No Vitória de Setúbal, é importante que os seus funcionários, staff e jogadores tenham os ordenados a tempo e horas”, comentou.

Paulo Gomes também indicou que a decisão do ‘lay-off’ só poderá ser tomada em conjunto com a Liga e clubes, nunca a nível individual.

Para a maioria dos clubes, a receita das transmissões televisivas é determinante para a sobrevivência dos mesmos. Esta quinta-feira, a Altice queixou-se de ter sido excluída do processo de suspensão dos campeonatos.

O presidente do Vitória de Setúbal indica que o mês de abril será essencial para resolver esse problema.

“A maioria dos clubes da I Liga depende das receitas das transmissões televisivas. Como tal, eles estão sempre dependentes da forma como são feitas. Durante o mês de abril, temos de perceber como vamos trabalhar para os próximos três meses. Uma coisa é certa, não vamos trabalhar individualmente, vai ser em conjunto, para salvaguardar a posição dos clubes”, completou.