Portugal
"Olhamos para esta situação com alguma seriedade, mas sem alarmismos"
2020-03-27 17:55:00
António Araújo garante que os jogadores estão prevenidos para a pandemia da Covid-19

O médico do Gil Vicente, António Araújo, explicou hoje que os futebolistas do nono classificado da I Liga estão prevenidos para a pandemia da covid-19, enquanto se mantêm ativos em casa com planos individuais de treino.

“Olhamos para esta situação com alguma seriedade, mas sem alarmismos, até porque é fundamental apostar na consciencialização da sociedade civil. No nosso caso, adotámos todas as medidas de prevenção com jogadores, funcionários e respetivas famílias, para que o risco de contágio entre eles seja o menor possível”, frisou o líder do departamento médico dos minhotos ao sítio oficial da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) na Internet.

Além das instruções sociais destinadas a minimizar qualquer possibilidade de infeção, os pupilos de Vítor Oliveira receberam um esquema para conservar a “forma física e psicológica”, tendo em conta as limitações impostas pelo estado de emergência.

“Derivado de fatores de risco e antecedentes de lesão, alguns atletas têm especificidades no treino atribuído, mas todos estão a cumprir à regra e são monitorizados por videoconferência. Em paralelo, os jogadores respondem todos os dias a um questionário para acompanhar sintomas que possam indicar uma possível infeção”, elucidou.

Perante a “diminuição substancial” dos gastos energéticos, em virtude da paragem das competições profissionais decretada em 12 de março pela LPFP, o Gil Vicente também adaptou planos nutricionais às exigências físicas de cada jogador.

“O isolamento social não é uma realidade que seja agradável e usual. É difícil para toda a gente e não só para os jogadores de futebol. Eles tentam, apesar de tudo, compensar esta lacuna através do contacto não presencial, mas é evidente que já existem alguns sinais de ansiedade e de preocupação, também originados pelas dúvidas existentes”, observou.

António Araújo considera ser “prematuro” antever o ritmo de crescimento do novo coronavírus em Portugal, deixando prognósticos sobre um eventual regresso à normalidade quando for atingido o pico epidemiológico.

“Há que cumprir as diretivas dadas pelos órgãos de soberania, sendo importante manter o exercício físico, tendo em conta as consequências originadas por este cenário de isolamento social. O exercício pode e deve ser realizado, seja em casa ou numa zona isolada perto do local de residência, por um curto espaço de tempo”, aconselhou.

A I Liga está suspensa por tempo indefinido e o Gil Vicente entra para as 10 jornadas finais na nona posição, com 30 pontos, 14 acima da ‘linha de água’, numa temporada marcada pela reintegração administrativa na elite, na sequência do ‘caso Mateus’.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 112.200 são considerados curados.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.