Portugal
“Nos jogos fora, se não fossem os Super Dragões pouco apoio o clube teria”
2019-05-15 16:20:00
Pinto da Costa destaca importância da claque e relativiza incidente após o jogo com o Desportivo das Aves

O presidente do FC Porto comentou o incidente entre plantel e os Super Dragões, depois da vitória dos azuis e brancos diante do Desportivo das Aves (4-0), no Estádio do Dragão.

O plantel, recorde-se, saiu do relvado sem agradecer o apoio, numa aparente 'retaliação' pela dura reação da claque ao empate (2-2) concedido na jornada anterior, em Vila do Conde, frente ao Rio Ave.  

Mais tarde, o grupo decidiu regressar ao relvado, para serenar os ânimos, com o capitão Héctor Herrera a usar um megafone para transmitir uma mensagem.

Na entrevista que concedeu ao jornal O Jogo, Pinto da Costa comentou o incidente e destacou a importância dos Super Dragões. “São essenciais”, diz.

“São eles que colocam o estádio a cantar e a incitar a equipa, nos jogos fora se não fossem eles pouco apoio o clube teria, mas todo o estádio de um modo geral está com a equipa”, reforça o presidente portista.

O episódio no encontro frente ao Desportivo das Aves foi explicado por Pinto da Costa: "Soube que nesse jogo em questão fizeram a roda no meio e foram logo embora e a claque levou a mal. Os jogadores quando souberam isso resolveram voltar atrás, não por estarem arrependidos ou com medo, mas porque as claques teriam razão de estar ressentidas".

O caso ficou encerrado e a união regressou ao reino do Dragão. "Na Madeira provou-se que todos se mantêm unidos”, refere Pinto da Costa, naquela entrevista.

"Entendo que a roda deve ser feita no meio para que todos estejam à mesma distância e depois que haja uma ida para agradecimento às claques", disse também o dirigente.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa