Portugal
“Jesus... Portugal já acabou e eu não sabia", ironiza Bruno de Carvalho
2020-06-24 18:10:00
Ex-presidente do Sporting responde às declarações de Dias Ferreira

Em publicação na sua conta oficial do Twitter, Bruno de Carvalho, ex-presidente do Sporting, responde às declarações de Dias Ferreira, que é contra a ideia que se deva realizar uma revisão aos estatutos do clube, caso a ideia seja for colocar cada sócio a valer apenas um voto no ato eleitoral.

Socorrendo-se de uma imagem de um artigo publicado no Bancada, em que o antigo presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting refere que “no dia em que colocarem um sócio/um voto o Sporting acaba”, Bruno de Carvalho ironiza as declarações em questão.

“Pois é, por isso é que o meu pai e a minha mãe têm 20 votos para as presidenciais e eu 1... Não é isso? Eles também só têm um voto? Jesus... Portugal já acabou e eu não sabia!!!”, afirmou o ex-presidente.

No fim da sua intervenção, Bruno de Carvalho deixou duas hashtags que, na sua perspetiva, representam o estado atual do Sporting.

"Democracia leonina e sporting sem rumo”, completou.

Recorde-se que está previsto nos Estatutos do Sporting a existência de associados que tem direito a mais que um voto, sendo que o mesmo é determinado pelos anos de ligação ao emblema verde e branco.

Em 2011, Godinho Lopes venceu as eleições à presidência do clube leonino com 36,55 por cento dos votos, contra os 36,15 por cento de Bruno de Carvalho, tendo sido determinante a escolha dos sócios com mais tempo de afiliação ao clube.

Nas últimas eleições aos órgãos sociais do clube, realizadas em setembro de 2018, Frederico Varandas, atual presidente do Sporting, venceu as eleições com 42,32 por cento dos votos, tendo superado a concorrência de João Benedito e José Maria Ricciardi.

No entanto, apesar de Varandas ter recolhido uma maior percentagem na votação, João Benedito foi o candidato que recebeu mais votos.

O antigo jogador e figura da equipa de futsal do Sporting colheu a preferência de 9.735 sócios, contra os 8.717 de Frederico Varandas.