Portugal
Gil Vicente regressa às vitórias diante do Desportivo das Aves
2020-06-21 23:05:00
Adjunto Mário Nunes substituiu o castigado Vítor Oliveira

O Gil Vicente alcançou hoje a primeira vitória após a paragem da I Liga, ao impor-se na receção ao Desportivo das Aves (3-0), no jogo inaugural da 28.ª jornada, que penalizou um lanterna-vermelha sem alma.

Num Estádio Cidade de Barcelos despido, os golos de Henrique Gomes (10 minutos), Rúben Ribeiro (36) e Samuel Lino (90) encerraram um ciclo de três desaires seguidos e devolveram confiança aos minhotos, que subiram ao relvado com o pior registo entre os primodivisionários depois da pausa provocada pela pandemia de covid-19.

Os ‘galos’ deram um passo importante na luta pela manutenção e mantém-se no 11.º lugar, com 33 pontos, 12 acima da zona de descida, onde estão afundados os avenses, na 18.ª e última posição, com 14 pontos, outros tantos abaixo da ‘linha de água’, e sem golos marcados desde a paragem do campeonato, à entrada para as seis rondas finais.

Com o adjunto Mário Nunes no lugar do castigado Vítor Oliveira, os ‘galos’ repetiram as escolhas da derrota frente ao Marítimo (2-1) e demoraram pouco tempo a encontrar o antídoto para transpor o bloco baixo de um oponente enclausurado no seu meio-campo defensivo, como atestou o cabeceamento torto de Rúben Ribeiro nos instantes iniciais.

A entrada personalizada do Gil Vicente rendeu frutos aos 10 minutos, através de um canto de Kraev na direita materializado pelo pé esquerdo oportuno de Henrique Gomes, após assistência de cabeça de Rodrigo, para desalento do guarda-redes Fábio Szymonek, que se recompôs na jogada seguinte e negou os festejos do isolado Lourency.

Os visitados ainda voltaram a introduzir a bola adversária aos 12 minutos, mas o videoárbitro (VAR) certificou a posição irregular de Kraev, oferecendo algum fôlego ao Aves para respirar, desenvolver o ataque face à pressão barcelense e alcançar zonas de finalização, em remates desenquadrados de Mohammadi (19 minutos) e Tshibola (22).

Sem relaxar em demasia, os minhotos amealhavam situações mal aceleravam as operações no último terço e obrigaram Fábio Szymonek a empregar-se a fundo num pontapé à meia-volta de Sandro Lima (20 minutos), além de outro remate em arco (21) e um mergulho de cabeça (29) do inconformado Rúben Ribeiro.

Uma jogada semelhante aos 36 minutos premiou a insistência do extremo, ao aproveitar a descoordenação alheia para dar continuidade ao cruzamento de Alex Pinto, castigando a postura contida dos avenses, que mostraram pouca desenvoltura atacante enquanto aguardam pela sentença da calculadora para consumarem a despromoção à II Liga.

Nuno Manta Santos orientou o 19.º jogo consecutivo com mexidas nos titulares e abdicou de um central para a etapa complementar, embora a vontade da formação do concelho de Santo Tirso tenha esbarrado numa relação confusa com a bola e em processos lentos, perdendo consistência com o avanço do relógio e o declínio físico e psicológico.

Mohammadi ainda viu um golo anulado pelo VAR (84 minutos) e abanou a trave da baliza de Denis (90+1), no ocaso de mais uma exibição descolorida do Desportivo das Aves, que sofreu a terceira derrota frente ao Gil Vicente esta temporada, culminada nos descontos com um contra-ataque concretizado por Samuel Lino, a passe de Hugo Vieira.

Jogo no Estádio Cidade de Barcelos, em Barcelos.

Gil Vicente - Desportivo das Aves, 3-0.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Henrique Gomes, 10 minutos.

2-0, Rúben Ribeiro, 36.

3-0, Samuel Lino, 90.

Equipas:

Gil Vicente: Denis, Alex Pinto, Rodrigo, Rúben Fernandes, Henrique Gomes, Soares (João Afonso, 90+3), Claude Gonçalves, Lourency (Samuel Lino, 60), Bozhidar Kraev (Zakaria Naidji, 60), Rúben Ribeiro (Vitor Carvalho, 76) e Sandro Lima (Hugo Vieira, 76).

(Suplentes: Bruno Diniz, João Afonso, Zakaria Naidji, Hugo Vieira, Arthur Henrique, Vitor Carvalho, Edwin Banguera, Yves Baraye e Samuel Lino).

Treinador: Mário Nunes.

Desportivo das Aves: Fábio Szymonek, Mato Milos (José Varela, 70), Jonathan Buatu, Oumar Diakhité, Bruno Morais (Zidane Banjaqui, 46), Ricardo Mangas, Cláudio Falcão, Rúben Oliveira (Bruno Lourenço, 81), Aaron Tshibola (Rúben Macedo, 46), Mehrdad Mohammadi e Pedro Soares (Marius, 70).

(Suplentes: Raphael Aflalo, Pedro Delgado, Marius, Zidane Banjaqui, Afonso Figueiredo, Rúben Macedo, Bruno Lourenço, José Varela e Estrela).

Treinador: Nuno Manta Santos.

Árbitro: André Narciso (AF Setúbal).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Pedro Soares (61), Jonathan Buatu (65), Ricardo Mangas (75) e Alex Pinto (80).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.