Portugal
“Benfica e FC Porto não estão tão fortes. E o Sporting é melhor nem falar”
2020-01-08 14:20:00
Vítor Oliveira aponta uma quebra da qualidade das equipas, numa entrevista que concedeu ao Canal 11

Numa entrevista ao Canal 11, o treinador do Gil Vicente traçou um quadro negativo do futebol português, com perda de qualidade das equipas, em resultado da saída de jogadores de média qualidade e da incapacidade de contratar futebolistas de gabarito, tal como sucedia num passado recente.

“A Primeira Liga está mais fraca. O campeonato continua competitivo, mas com um nível mais baixo.  O nível exibicional das equipas médias é mais baixo do que era há uns anos, em que as equipas eram muito mais competitivas”, começa por referir.

Vítor Oliveira nota uma aproximação entre equipas grandes e pequenas, mas em resultado da quebra dos habituais candidatos ao título.

“Houve uma aproximação às equipas ditas grandes, mas estas não estão tão fortes… Nós não temos um FC Porto tão forte como tínhamos há cinco ou seis anos. Não temos um Benfica tão forte como tínhamos há cinco ou seis anos. E o Sporting é melhor nem falar. Não há comparação com o Sporting de há uns anos”, defende.

Para o técnico do Gil Vicente, a razão para esta quebra de qualidade em todos os clubes lusos está na “falta de dinheiro do futebol português” e com o facto de o “jogador médio sair com facilidade”.

“Esse jogador médio não vai para campeonatos muito mais competitivos. A generalidade vai para campeonatos médios da Europa, só que vai ganhar muito mais dinheiro. E esse jogador médio faz-nos muita falta. É a classe média... Faz-nos imensa falta para aumentar a competitividade do nosso campeonato”, sustenta o treinador.

Por outro lado, acrescenta Vítor Oliveira, os estrangeiros que chegam a Portugal “não têm a qualidade que tinham antigamente”.

“Recebíamos 10, 15 jogadores brasileiros de grande qualidade. Agora, os clubes médios não recebem esses jogadores. Qualquer país, mesmo sem expressão, relativamente a Portugal, consegue pagar mais do que nós”, lamenta.