Grande Futebol
Proibição da personalização de braçadeiras de capitão gera polémica em Itália
2018-08-21 18:30:00
De Rossi e Papu Gómez ignoraram a mais recente medida do futebol italiano e podem vir a sofrer as consequências.

Está instalada a polémica no futebol italiano e tudo por culpa das braçadeiras de capitão utilizadas pelas equipas. o organismo que gere os campeonatos profissionais em Itália definiu que os capitães devem utilizar o mesmo modelo de braçadeira - branca com a palavra “Capitan” (capitão) em letras garrafais, pelo que não podem ser personalizadas. Ora, quem não gostou nada desta medida foi Daniele de Rossi e Papu Gómez, dois jogadores conhecidos por fazerem das braçadeiras que envergam símbolos para transmitir aquilo que lhes vai no coração. No caso do médio da AS Roma, trata-se de uma jura de amor eterno. O avançado da Atalanta, por seu turno, faz uso de desenhos como forma de expressão.

Este fim de semana teve lugar a primeira jornada da Liga Italiana e é de salientar que tanto De Rossi como Gómez ignoraram e desrespeitaram a nova medida imposta pelo organismo que rege o campeonato do país. Agora, ambos os jogadores poderão vir a ser castigados. De Rossi passou toda a carreira na AS Roma e é precisamente esse amor eterno que carrega na braçadeira de capitão. “És a minha única esposa, és o meu único amor”, são as palavras que se podem ler no tecido vermelho que simboliza o capitão dos giallorossi. Na 18.ª temporada a representar o clube da capital transalpina, De Rossi não esconde o sentimento que nutre pela equipa que lhe deu a conhecer o desporto rei, mas poderá vir a pagar por isso.

A braçadeira utilizada por De Rossi. "És a minha única esposa, és o meu único amor". Crédito: Twitter

Papu Gómez também não ficou indiferente à nova medida adotada pela entidade que gera os campeonatos profissionais italianos e deu a entender todo o seu desagrado com a situação através de uma publicação nas redes sociais. “Hoje sinto-me muito triste, pois recebi um comunicado da liga italiana, onde explicam que, a partir deste ano, nenhum jogador poderá personalizar a própria braçadeira. Há dois anos, tive a maravilhosa ideia de criar desenhos que me representassem como capitão. Em cada jogo um diferente, e sempre sem desrespeito. Mas, infelizmente, no futebol de hoje os jogadores contam cada vez menos”, lamentou o capitão da Atalanta no Instagram.

De facto, Papu Gómez tem a particularidade de utilizar braçadeiras totalmente cobertas com desenhos que variam entre simples coisas de que o jogador gosta, como mensagens mais sentimentais. Uma das braçadeiras utilizadas pelo argentino que mais marcou foi em homenagem à Chapecoense, após o fatídico acidente de avião que vitimou grande parte da equipa brasileira. Noutras ocasiões, o atacante de 30 anos recorreu a desenhos como dedicatórias à filha, ou até mesmo relacionados com filmes. Ainda assim, Gómez referiu que na primeira ronda da Serie A apenas não utilizou a braçadeira exigida… porque estava larga demais. “Eu não queria desrespeitar as regras, mas a braçadeira era muito grande e eu não conseguia segurar no meu braço", referiu Papu após o triunfo por 4-0 sobre o Frosinone. Palavras verdadeiras, ou apenas para satirizar com a situação? A resposta será dada já na próxima ronda do campeonato, no fim de semana, por isso não será necessário esperar muito. Será que Gómez e De Rossi voltam a ignorar a mais recente imposição em Itália?