Grande Futebol
Messi e "o melhor de sempre" e Mbappé um "fenómeno"
2020-02-05 18:50:00
Neymar elogia craques do Barcelona e do PSG

O internacional brasileiro Neymar elegeu hoje o argentino Lionel Messi como “o melhor futebolista de sempre” e considerou o francês Kylian Mbappé “um fenómeno” com capacidade para se tornar “um dos melhores da história”.

“Jogar lado a lado com o Messi [no FC Barcelona] foi uma experiência única e tornámo-nos amigos. De todos os jogadores que vi jogar, o Messi é o melhor de sempre”, afirmou Neymar, em entrevista ao site oficial da FIFA, revelando que “Ronaldinho, Robinho e Messi” foram os três jogadores que mais gostou de ver jogar.

O avançado brasileiro, de 28 anos, foi companheiro de equipa de Messi no FC Barcelona entre 2013 e 2017, formando o trio ofensivo dos catalães com o argentino e com o uruguaio Luis Suárez.

Em 2017, Neymar mudou-se para o Paris Saint-Germain, por 222 milhões de euros, naquela que foi a transferência mais cara de sempre. Nos parisienses, o internacional ‘canarinho’ tem dividido o protagonismo com Kylian Mbappé, de 21 anos, a quem augura um futuro de sucesso.

“O Kylian é um fenómeno. Ele tem potencial para se tornar um dos melhores jogadores da história. É uma grande honra tê-lo como companheiro de equipa. Entendemo-nos muito bem dentro de campo e fora também. Adoro-o”, referiu na mesma entrevista.

Neymar assegurou ainda que o troféu de melhor jogador do mundo da FIFA “não é uma obsessão” e que se treina diariamente com o objetivo “de ser melhor do que no dia anterior”: “Se, algum dia, ganhar o troféu, será uma consequência do meu trabalho.”

Com 101 internacionalizações pela seleção brasileira, o brasileiro deixou elogios a vários “talentos emergentes” do Brasil, como Arthur, Everton Cebolinha, Richarlison, David Neres, Lucas Paquetá, Vinícius Júnior, Rodrygo ou Reinier, todos com capacidade para representar a equipa ‘canarinha’ no Mundial2022, no Qatar.

Quanto aos principais concorrentes do Brasil na luta pelo cetro do próximo Campeonato do Mundo, Neymar foi perentório: “França, Bélgica, Inglaterra e Argentina”.