Grande Futebol
Guiné vai à fase de grupos de apuramento para o Mundial2022
2019-09-10 20:40:00
Junta-se a Angola, que afastou a Gâmbia, e Moçambique, que eliminou as ilhas Maurícias

A Guiné-Bissau garantiu hoje um lugar na fase de grupos africana de apuramento para o Mundial de futebol de 2022, que se vai realizar no Qatar, ao vencer em casa São Tomé e Príncipe por 2-1.

Após um resultado negativo (0-1) em casa, há uma semana, os são-tomenses até começaram a partida, no Estádio 24 de Setembro, em Bissau, da melhor forma, adiantando-se aos 11 minutos, por intermédio do médio Jockceleny Carvalho.

A Guiné-Bissau tentou reagir ao golo dos são-tomenses, que empatava a eliminatória, mas mesmo as mudanças posicionais dos dianteiros Mama Baldé, Piqueti e Joseph Mendy não davam resultados para os comandados de Baciro Candé.

Mesmo com as bolas ‘bombeadas’ para a frente de ataque, a partir de lançamentos do meio-campo por parte de Pelé, a cortina defensiva dos são-tomenses, bem comandada pelo central Dilson Quaresma, chegava e sobrava, até porque em eram mais altos que os três atacantes guineenses.

No meio campo dos são-tomenses, Jackson Trindade travava uma luta titânica com os três médios guineenses, Soriano, Pelé e Bura, ainda que em certas ocasiões recorrendo às entradas mais duras para parar um dos três que lhe aparecia à frente.

Na segunda parte, os guineenses reaparecem no tapete do 24 de Setembro com outra determinação, fruto de uma mexida operada por Baciro Candé, que deu mais balanceamento ofensivo aos ‘djurtus’ - saiu o central Rudinilson, baixando Soriano para o eixo central da defesa, em parelha com Juary Soares, entrando o ‘criativo' Moreto Cassamá.

A partir dessa mudança, a Guiné-Bissau tomou conta do jogo, até porque Nanu e Mama Baldé, que constituíam o tandem do lado direito, começaram a carburar melhor, servindo mais jogo ao ponta-de-lança Joseph Mendy.

Moreto Cassamá vinha com ordens para pegar no jogo e distribuir, ora para Piqueti ora para Mama Balde, que funcionavam nas alas que iam permutando.

Aos 65 minutos da segunda parte, já com sinais de algum nervosismo das mais de 30 mil pessoas que estavam nas bancadas, Moreto Cassamá descobriu Piqueti à entrada da área e este, após livrar-se de três são-tomenses, ofereceu o golo a Joseph Mendy, que só teve de encostar, para o alívio do público.

Como referiu o próprio treinador são-tomense, Adriano Eusébio, o golo deu ânimo aos guineenses, que "fruto da sua experiência, galvanizaram-se" e acabaram por chegar ao segundo tento, pelo mesmo Mendy, os 82 minutos, novamente acudindo a um passe de Piqueti à entrada da área adversaria.

Para o selecionador são-tomense, "não foi possível contrariar até ao fim a experiência" da Guiné-Bissau, mas também o cansaço e o relvado natural - que não existe em São Tomé e Príncipe - pesaram na derrota da sua equipa, da qual disse sentir-se orgulhoso por se ter batido "contra uma seleção que está 60 lugares acima" no ranking da FIFA.

Baciro Candé, por sua vez, dedicou a vitoria e a qualificação da Guiné-Bissau, à sua esposa, que hoje faz anos, agradeceu os jogadores e ao público, mas exigiu respeito em relação às críticas que são dirigidas à forma de jogar dos ‘djurtus’.

"Até hoje, tenho tido total lealdade para com este país", defendeu Candé, frisando que a Guiné-Bissau podia ter saído para o intervalo com uma goleada aos são-tomenses que disse ter jogado apenas no erro dos seus jogadores.

Baciro Candé afirmou que "agora é saborear o apuramento" e destacou que São Tomé e Príncipe "não é um adversário qualquer", lembrando que Marrocos e Madagáscar tiveram dificuldades em jogos recentes contra os são-tomenses.

"Agora, estamos no grupo dos bons", declarou Candé, que pede paciência para com a seleção guineense, que acredita estar na fase de crescimento.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa