Fora da Bancada
"Ofensas vindas de determinadas pessoas não são ofensas, são medalhas"
2020-06-15 15:40:00
"Acho que ninguém se deve perpetuar nos cargos", refere Ana Gomes

Ana Gomes concedeu uma longa entrevista à SIC Notícias onde recordou as funções que exerceu como eurodeputada  mas também como diplomata em Timor. A socialista também comentou os combates que tem vindo a enfrentar ao longo dos anos, com especial destaque mediático, nos últimos tempos, para o combate à corrupção.

Assumindo que não tem medo do que dela se diz e escreve, Ana Gomes explica até que "ofensas vindas de determinadas pessoas não são ofensas, são medalhas".

A antiga eurodeputada, que mantém o suspense em relação ao facto de se candidatar, ou não, à presidência da República, sublinha estar satisfeita com o trabalho que vem fazendo para denunciar alegados casos de corrupção.

"Acho que o país está mais alerta e mais exigente e também está mais organizado", analisou, notando que, por hoje, "há muita gente na sociedade civil que está organizada para fazer esse papel de escrutínio e de fiscalização" para evitar casos de corrupção.

Seja como for, Ana Gomes sustenta que de onde deveria chegar a primeira fiscalização.

"Devia vir da Assembleia da República, mas muitas vezes não vem, ou quando vem, vem tarde".

Após a saída do Parlamento Europeu, órgão ao qual decidiu não se candidatar, Ana Gomes explica as razões para não o ter feito, sustentando a opção na sua conduta pessoal e com os seus valores.

"Acho que ninguém se deve perpetuar nos cargos e, portanto, se acredito nisso e defendo para outros, tenho que aplicá-lo a mim própria".

Além de deputada no Parlamento, Ana Gomes tem sido ao longo dos anos uma das vozes mais mediáticas dentro do Partido Socialista.

Tags: