Portugal
O "mistério" que paira no Dragão. Benfica critica arbitragem em longa reflexão
2019-03-19 15:10:00
"Erros" são "sempre em benefício da mesma equipa", diz Benfica

O Benfica volta a fazer ponto de mira às arbitragens e revela um conjunto de lances que, no entender das águias, "valeram pontos a uma equipa e, obviamente, custaram pontos a outras". O clube da Luz sustenta que "alguns desses erros são demasiado graves".

Na newsletter oficial, o Benfica lembra que "erros – graves e menos graves – sempre aconteceram e sempre hão de acontecer" e que no fim das competições, por norma, "entre eventuais benefícios e prejuízos as contas são equilibradas para todas as equipas".

No entanto, lembram os encarnados que a verdade desportiva está a ser colocada "em causa" e isto é algo que "nunca aconteceu e talvez não volte a acontecer", pois esses "erros" são "sempre em benefício da mesma equipa".

As linhas seguintes passam por uma reflexão ao videoárbitro (VAR) que é encarado como uma "ferramenta importante, capaz de reduzir de forma drástica o número de decisões erradas que são tomadas em campo". Ainda assim, o clube da águia nota e diz ser "estranho que não seja isso que está a acontecer".

O Benfica não compreende como é que neste segundo campeonato em que o VAR está em funcionamento "é daqueles em que, nos últimos anos, se estão a verificar mais erros graves de arbitragem".

Na newsletter, o emblema benfiquista diz ser "difícil de aceitar que, havendo mais árbitros, mais condições e mais investimento, também existam… mais erros".

Na longa reflexão feita, o Benfica elenca um conjunto de jogadas onde faz reparos às arbitragens e revela que "o FC Porto terminou 31 por cento dos jogos deste campeonato a jogar contra 10" unidades.

A matemática da Luz chega à contagem de expulsões de adversários do FC Porto no Dragão. "Nos 13 jogos que já disputou na sua casa, o FC Porto viu seis adversários terminarem com jogadores expulsos. Isto é: em praticamente metade (!) dessas jornadas, o FC Porto terminou com mais um jogador. Um mistério."

Sê o primeiro a comentar: