Portugal
"Estas pessoas têm que ser desmascaradas". Petit critica Carlos Pereira
2019-09-15 18:00:00
Em causa a saída do ex-jogador do comando técnico dos insulares

A contas com um processo com o Marítimo, depois de entender, ao contrário de Carlos Pereira, que tinha mais um ano de contrato com o Marítimo, Petit criticou o presidente e a forma como este se comportou. 

"Foi feio e continua, vai para tribunal, porque tinha contrato de um ano e meio, eu e o Filipe Anunciação, e estava a programar já a nova época, a escolher jogadores, mas depois o presidente queria meter-se nas minhas escolhas, processou vários jogadores, colocava-os na equipa B e depois eu chegava e não tinha dois ou três para o treino", começou por dizer Petit, em entrevista à rádio 'Estádio' e citado pelo 'zerozero'.

"Eu sempre me dei bem com os presidentes, falava com eles de futebol e dos jogadores, mas se tu és contratado para treinador, és tu que decides. Se não, ia ele para o banco, mas sujeitava-se a ser despedido por ele próprio. Estas pessoas têm de ser desmascaradas", continuou. 

Recorde-se que Petit apresentou-se para o arranque da nova temporada, numa altura em Nuno Manta já tinha sido apresentado como novo treinador. O ex-técnico dos insulares explica que Carlos Pereira o tentou "dividir" de Filipe Anunciação e que achou que este não teria "coragem" para se apresentar. 

"Trabalhei durante as férias para o Marítimo e apresentei-me no dia 1, onde perguntei se era para me equipar ou não. Eu disse que tinha contrato, ele tentou dividir-me com o Filipe, mas nós fomos juntos e nunca vi o presidente gaguejar tanto como nesse dia. Ele pensava que eu era um miudito, que não tinha coragem para me apresentar. Passa-se muita coisa no futebol e o treinador é o elo mais fraco", referiu. 

Na mesma entrevista, que vai para o ar este domingo, refere o zerozero, Petit revelou que Carlos Pereira "começou a arranjar desculpas, a faltar a reuniões e a mandar o diretor desportivo". 

"Insisto: estas pessoas têm de ser desmascaradas, porque andam no futebol há tantos anos e não evoluem. Se nós, jogadores, treinadores e até dirigentes, que tiram cursos, fazemos por evoluir, porque é que estas pessoas também não o fazem? Porque isto é o quintal deles. Se se quer que o futebol português cresça, estas pessoas não podem andar no futebol. E eu vou para a frente, vou até à última", rematou.