Grande Futebol
“Atlético de Madrid desejava-me mais que o Benfica”, recorda Diogo Jota
2020-04-05 11:40:00
O extremo recorda o momento em que poderia rumar ao clube encarnado

O extremo do Wolverhampton, Diogo Jota, falou sobre a transferência para o Atlético de Madrid, na temporada 2015/2016.

Em entrevista ao jornal Record, o português de 23 anos admitiu que poderia ter rumado ao Benfica, que estava interessado nos seus serviços, mas que a abordagem do clube espanhol foi essencial.

“O Paços poderia ter-me vendido para outro clube que não o Atlético. A principal razão foi a abordagem que tive por parte do presidente do Atlético e a que tive por parte do Benfica. Notei uma enorme diferença de tratamento. Senti-me mais desejado em Madrid”, afirmou Diogo Jota.

Sobre Bruno Fernandes, que se tem destacado ao serviço do Manchester United, o ex-futebolista do FC Porto não se mostra surpreendido com o rendimento do médio.

“Não sei se é o melhor, mas é o mais ambicioso. E isso faz a diferença. Nota-se claramente a diferença entre o Manchester United com e sem Bruno Fernandes. Ele assume e ambiciona mais do que aquilo que andam a fazer. Acho que eles já lhe devem muito”, comentou.

Internacional pela Seleção Nacional por duas ocasiões, Diogo Jota sente que tem espaço para ser uma das opções de Fernando Santos.

“Trabalho para isso. Agora depende da forma como o mister quiser que a equipa jogue e as caraterísticas que procurar nos jogadores. Felizmente, Portugal tem muitas opções, principalmente no ataque”, apontou o extremo.

Na terceira temporada ao serviço do Wolverhampton, Diogo Jota fez 37 jogos ao serviço da equipa treinada por Nuno Espírito Santo, tendo feito 15 golos em todas as competições.