Portugal
"A família do João Félix entendeu que ele devia mudar-se para o Benfica"
2019-06-22 17:25:00
Luís Castro aborda a saída de João Félix dos escalões de formação do FC Porto

Luís Castro, ex-diretor técnico da formação do FC Porto, recordou os tempos em assumia essa função e falou da saída de João Félix dos escalões jovens dos azuis e brancos. Em entrevista ao jornal O Jogo, o novo técnico do Shakhtar afirma que a decisão partiu dos pais do jovem e que os clubes "não mandam nada" quando os jogadores são ainda novos. 

"O João [Félix] estava nos 'potenciais jogadores de elite'. Eu já não estava como diretor técnico da formação quando ele sai, estava como treinador da equipa B, mas pelo que eu sei, que eu dava-me bem com o pai do João, é que a família entendeu que deveria mudar o jogador para o Benfica", começou por dizer. "[O FC Porto não quis segurá-lo?] Não há hipótese, não é 'não quis'. É outra coisa que está instituída no futebol português, pensar que um clube não segurou um jogador da formação. Enquanto os miúdos têm 14, 15, 16 ou 17 anos, os clubes não mandam nada, os pais levam os jogadores para onde querem", explicou. 

Luís Castro recordou depois outros jogadores que estavam no lote de 'potenciais jogadores de elite' e que alcançaram esse nível. 

"O João é um jogador como tantos outros que estavam no clube, que estavam sinalizados e pertenciam a um grupo de elite. Muitos deles chegaram, inclusive ele, como o Dalot, o Rúben Neves, o André Silva, o Gonçalo Paciência, o Diogo Leite, o Diogo Queirós... Muitos jogadores estavam no grupo de elite. Uns chegaram outros não chegaram. Dizer que um jogador vai ser ou não vai ser no futuro, é algo que nós temos de fazer de forma permanente, porque temos de elaborar relatórios", rematou. 

Sê o primeiro a comentar: